Pular para o conteúdo principal

Série Eu Creio, Capítulo 0 - A Bíblia

Nova série de textos da página, dessa vez se chamará “Eu creio”, e nela falarei sobre o que eu creio, porém buscarei fazer isto com embasamento bíblico e não com meros achismos, porém antes de prosseguir existe uma coisa que preciso dizer não espere perfeição de mim, nem de nenhum outro teólogo, todos somos seres humanos e falhos, se popularizou até que cada teólogo tem ao menos um “pé de barro” um tema aonde ele falha miseravelmente em sua interpretação, o único que é perfeito é Jesus mas este tema abordarei mais para frente, primeiro para começar esta série preciso falar que “Eu creio na Bíblia”

Eu acredito que como disse o Apóstolo Paulo “Toda escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir na justiça” (2 Timóteo 3:16), não creio que algumas partes da Bíblia seja inspirada como alguns dizem por aí, e sim que toda ela é inspirada, de Gênesis até Apocalipse seus autores foram inspirados por Deus a escreverem de maneira infalível, na verdade por mais que a Bíblia tenha vários autores eu diria que na verdade são vários “co autores” e o verdadeiro autor da Bíblia é o próprio Deus, o problema de crer que apenas algumas partes da Bíblia sejam inspiradas como muitos fazem hoje em dia é que estes acabam decidindo que parte dela é inspirada ou não, e assim não é a Bíblia que julga estas pessoas e sim estas pessoas que julgam a Palavra de Deus e escolhem as partes mais agradáveis enquanto abandonam o resto, isto é bem perigoso.

Acredito que se está na Palavra de Deus tem alguma finalidade, caso contrário Deus não teria inspirado os “co autores” a escreverem aquele texto, não somente creio que a Bíblia é a Palavra de Deus mas que também ela é a única Palavra de Deus, no sentido de que muitos consideram ainda outros textos como “sagrados” em um mesmo patamar que a Bíblia, porém apenas os 66 Livros da Bíblia foram escritos com a inspiração divina de tal maneira que não se contradigam em momento algum, os demais livros como Alcorão, Livro de Mórmon, escritos de Ellen G. White, entre outros considerados como “sagrados” para mim são apenas literatura humana, sujeitos à falha, e que só podem ser aproveitados no que está de acordo com a única palavra de Deus que é a Bíblia, o que está em desacordo deve ser descartado ou como diz o Apóstolo Paulo “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo vindo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” (Gl 1:8), nem mesmo um Anjo do céu tem autoridade para ensinar um evangelho diferente daquele contido nas escrituras, e curiosamente muitos dos defensores destes outros livros defendem que seus autores receberam estes conhecimentos de “anjos”, mas mesmo que por algum acaso um anjo mesmo tivesse ensinado isto a eles, não é o suficiente para que consideremos aquilo com Palavra de Deus, muito pior que isto, na verdade como o Apóstolo diz “seja anátema” ou de uma maneira mais fácil “seja amaldiçoado”.

Creio que os pregadores estão sujeitos à palavra e não o oposto, é por isto que os Bereanos foram considerados nobres ao analisarem se o que estava sendo pregado condizia com a palavra de Deus ou não.

Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, porquanto, receberam a mensagem com vívido interesse, e dedicaram-se ao estudo diário das Escrituras, com o propósito de avaliar se tudo correspondia à verdade.” (Atos 17:11)

Sendo assim, se o que está sendo pregado condizer com a palavra de Deus devemos aceitar, mas se estiver contrário devemos rejeitar mesmo que um anjo vindo do céu esteja ministrando aquela palavra ou como Lutero diz em uma frase que eu gosto bastante “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas escrituras deve ser rejeitado mesmo que faça chover milagres todos os dias”

Creio que minha Bíblia não está incompleta, Deus se revelou aos seus de maneira contínua através da sua palavra e isto se concluiu com os 66 Livros, não existe mais nada com o mesmo peso que as escrituras, e falo isto pois muitos católicos acusam não somente a mim mas os protestantes em geral de termos uma Bíblia incompleta pelo fato da Bíblia Católica conter alguns livros e passagens a mais, porém eles só adicionaram estas passagens permanentemente a Bíblia após a Reforma Protestante, ou seja, foi uma resposta a Reforma para tentar diminuir o poder daquele evento, estes livros podem ser úteis como fontes históricas como é o caso de 1 e 2 Macabeus, mas não podem nem devem ser considerados como Palavra inspirada de Deus, isso se dá pelo fato de que alguns deles contradizem outras partes da Bíblia, nós protestantes não retiramos nenhum trecho da Bíblia, o próprio Lutero por exemplo não gostava muito da Carta de Tiago mas nem por isto a removeu das escrituras, na verdade o que aconteceu foi que os Católicos adicionaram mais Livros ao cânon Bíblico.

O próprio Jesus reconheceu que a Palavra de Deus é a verdade, quando disse “Santifica-os na Verdade, a tua palavra é a verdade” (Jo 17:17), e o interessante aqui é que ele diz que a Palavra de Deus é a verdade e não “uma das verdades” como muitos tem pregado hoje em dia.

Creio que mesmo que a Bíblia tenha sido escrita muito tempo atrás, ainda sim ela é “mais atual que o jornal de amanhã”, ela jamais se tornará defasada ou obsoleta e isso se dá pelo fato de que como disse Jesus “Passará o céu e a terra, mas minhas palavras jamais passarão” (Mt 24:35), o tempo pode passar mas a Palavra de Deus jamais passará, e algo importante sobre isto também é que creio que Deus é plenamente poderoso para guardar a sua Palavra para que chegasse a nós de maneira fiel sem ter sido adulterada ou “esquartejada” com algumas partes arrancadas, obviamente existem “novas traduções” equivocadas das escrituras, mas ainda sim temos acesso a Palavra de Deus como deveria ser, não creio que a “versão original” tenha se perdido como alguns dizem hoje em dia, mas sim que Deus utilizou homens primeiramente judeus para que o Antigo Testamento fosse transmitido de geração em geração sem faltar um til ou vírgula e depois “monges” católicos que viviam reclusos trabalhando como copistas para passar também o Novo Testamento de geração em geração, de tal forma que hoje em dia temos textos idênticos aos originais da Bíblia, sem nenhum tipo de erro relevante que altere ou adultere seu sentido.

É importante não entender errado, creio sim que todas as coisas e ensinamentos devem estar sujeitos à Palavra de Deus, mas isto não significa que devemos descartar todos os outros conhecimentos, e sim que ele deve estar de acordo com a Palavra de Deus, para quem acompanha a página já tenho provado através da Série sobre a Graça Comum que diversos outros conhecimentos podem nos ser úteis, aquilo que está de acordo com a Palavra podemos aceitar e aproveitar, enquanto o que não está rejeitamos e descartamos, importante lembrar que como disse a princípio eu não sou perfeito, e nenhum outro pregador é perfeito somente Jesus é, descartar TUDO que uma pessoa ensina só porque ela erra em determinado ponto é loucura e nem bíblico é, pois somos exortados a “mas ponde tudo à prova, retende o que é bom” (1 Ts 5:21), devemos sim colocar tudo a prova, ou seja, analisar de acordo com a palavra, mas devemos também reter o que bom, ás vezes uma pessoa errou em determinados pontos mas ainda sim tem muitas coisas que podemos tirar proveito do que ensinaram, um exemplo claro é quanto aos Católicos em seus primeiros concílios defenderam de maneira bem condizente a doutrina da Trindade e isto pode ser aproveitado inclusive por nós protestantes, não é porque eles erraram bastante nos demais concílios como o Concílio de Trento que foi uma resposta à Reforma que simplesmente devemos descartar tudo que ensinaram.

Enfim, antes de começar esta série achei bem importante fazer este texto introdutório para dizer que eu creio na Bíblia, e acredito que somente ela é a Palavra de Deus, ela não simplesmente contém a Verdade, como é a própria Verdade, céus e terra podem passar mas a Palavra de Deus permanecerá atual como o dia de amanhã, como disse Lutero “Minha consciência è cativa a Palavra de Deus”, creio que todo o meu viver deve ser moldado pela Palavra de Deus mesmo que isto desagrade a muitos, ou como está escrito “Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo.” (Gl 1:10), mesmo que não desagrade aos homens buscarei fazer aquilo que agrada a Deus, e uma destas coisas é buscar permanecer firme na Palavra de Deus que é a Verdade, devemos buscar pregar e viver a Verdade mesmo que isto não agrade aos homens, por mais importa agradar à Deus do que aos homens!

A Série sobre a Graça Comum continuará sendo produzida, tentarei se Deus permitir postar um novo texto tanto desta série nova quanto da Série sobre a Graça Comum semanalmente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

1x01 Série Eu Creio - Eu amo Maria, mas ela não era perfeita

Se eu te disser que mulher nenhuma presta, eu provavelmente seria taxado como louco e diversos outros tipos de coisa (principalmente por aqueles que não leem a Bíblia), mas quando eu demonstro que isto não é simplesmente uma mera ideia mim mas uma “paráfrase” de um texto bíblico as coisas mudam, foi o sábio Salomão que escreveu isto; “causa que ainda busco, mas não a achei; um homem entre mil achei eu, mas uma mulher entre todas, essa não achei.” (Ec 7:28 JFA), Salomão buscava por justos, e diz que entre todas as mulheres não achou uma sequer (ou entre tantas dependendo da versão), enquanto entre muitos homens ele achou um, essa é uma constatação bem real, por mais que Salomão vivesse ainda por mil anos ou mais ele ainda não acharia uma mulher sequer que fosse justa, a realidade é que nenhuma é, Salomão constatou neste momento a depravação do homem, e se você não entender a doutrina do Pecado Original e da Depravação Total certamente não conseguirá compreender o que ele disse, mas cal…

1x04 Série Sobre a Graça Comum - Inimigos poupados podem se tornar futuros aliados

Quarto Capítulo da Primeira Temporada da Série sobre Graça Comum, desta vez o personagem escolhido é Vegeta Vegeta é o príncipe dos Sayajins (uma raça guerreira do anime e mangá Dragon Ball que quase foi exterminada após seu planeta ser destruído). A princípio surge como um vilão, um poderoso inimigo quase que invencível para o protagonista e seus amigos naquele momento da História, mas com grande esforço ele é derrotado, talvez este fosse o fim de mais uma vilão qualquer, mas ainda não era o fim da História dele ali, Kuririn (amigo do protagonista) estava prestes à desferir um golpe fatal em Vegeta que mal conseguia se mover, porém, Goku o protagonista deste anime não deixou que ele fizesse isto, e permitiu que Vegeta fosse embora. Muitos são seus erros, ele tem uma natureza bem arrogante e como ele mesmo disse em certo momento; “Meu coração é pura maldade.” E o que será que nós podemos aprender com este arrogante príncipe dos sayajins?, acredite, uma lição muito importante, ainda demor…

1x01 Série sobre a Graça Comum, Aprendendo com o exemplo do Jiraya

Jiraya é um dos personagens do Anime Naruto, ele é um dos 3 Densetsu no Sannin, que seria traduzido “Ninja Lendário”, um título e tanto que o coloca entre os personagens mais fortes e respeitados de sua Aldeia, mas apesar de seu importante título, a vida de Jiraya foi cheia de “fracassos” como ele percebeu pouco antes de sua morte.

Desde sua infância ele foi rejeitado por diversas vezes por sua colega de equipe Tsunade recebendo diversos foras e pancadas dela, enquanto isto seu outro amigo e colega de equipe trilhou um caminho de escuridão o qual ele não pode impedir.
Seu mentor perdeu a vida lutando contra ninguém menos que seu amigo citado anteriormente, e Jiraya foi incapaz de protegê-lo.
um de seus pupilos perdeu sua vida para proteger a Aldeia onde eles vivem e Jiraya também não estava lá para ajudá-lo, outro de seus aprendizes se tornou o líder da organização mais perigosa do mundo, foi tentando impedir que este aprendiz continuasse com seus terríveis planos que Jiraya acabou morre…